Solidão

Olá inspiração!

Quantas vezes já te sentiste só? Quantas vezes já sentiste aquilo a que chamaste de solidão?

Quantas vezes doeu? E a dor, essa, quantas vezes te consumiu? Quantas vezes “ficaste lá” durante mais tempo do que desejavas?

Solidão by asmarisas

Estás ai? Então… essa mesma dor, foi aquela que te fortaleceu! Ensinou-te o que tinha a ensinar e depois, foi embora ou, pelo menos, tornou-se mais fraca. Às vezes é difícil deixá-la ir embora sabes? … Já refletiste sobre a possibilidade de seres tu quem a está a prender a ti? Este processo mais ou menos consciente é desafiante. Mas da mesma maneira que nos permitimos ficar a mergulhar na dor, podemos decidir sair dela e emergir. Podes demorar o teu tempo, podes precisar de ajuda, mas a decisão, essa, tem de ser só tua. Ninguém te consegue tirar de um estado emocional do qual não queiras sair.

Quantas vezes desesperaste e te sentiste só até conseguires voltar a respirar em pleno, potenciando a tua força interior? Estás ai, não estás?

Sentiste uma solidão que não era mais do que o teu corpo a gritar pela necessidade de estares só, contigo próprio(a), alinhando valores e sentimentos, deixando ir o que há para deixar ir, limpando o que há para limpar e curando o que há para curar. Tão bom, estares aí!

O teu corpo precisou de te forçar a encontrar o equilíbrio e apreciar a tua própria companhia. Estar só permite-te estabelecer a conexão entre o sistema límbico e o cognitivo, alinhando pensamentos e emoções. Estar só, pode representar um estado de plenitude e preenchimento muito enriquecedor. Estar só, contigo mesmo(a) deve ser uma prioridade. Estar só, mesmo com os outros ao teu redor. Observando o teu interior e deixando ir… enfraquecendo a dor, fortalecendo o Eu.

Um Sorriso,

à melhor versão de Ti!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top